Seja bem vindo e esteja bem informado!

*** Todas as postagens e fotos deste blog podem ser reproduzidas desde que sejam atribuídas autoria e fonte, conforme Lei Federal de Direitos Autorais nº 9610 de 19 de fevereiro de 1998. Dúvidas, acesse o site da Associação Brasileira de Propriedade Intelectual (Apijor): http://www.autor.org.br/ ***

as

27 março, 2008

Jornalista? Onde está o Diploma?

Recebi meu diploma de Jornalista no sábado dia 3 de março e já na segunda-feira, dia 5, me dirigi ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio Grande do Sul, localizado em Porto Alegre, para pegar meu Registro Profissional e minha Carteira Nacional de Jornalista.

Ao chegar eu brinquei com a atendente dizendo com o diploma nas mãos: “estou aqui para trocar um documento que me custou aproximadamente 70 mil reais por outro que me garantirá pelo menos mil reais por mês”. Sim, este é o piso da categoria, acreditem!

Mas se quisesse ganhar dinheiro teria feito medicina ou engenharia. Escolhi o Jornalismo porque, sem falsa modéstia, além de gostar de ler e escrever muito bem, carrego comigo certo senso de justiça social.

Uma vez li a seguinte frase: “a imprensa pode causar mais danos que a bomba atômica e deixar cicatrizes no cérebro”. Não é à toa que a imprensa é considerada o Quarto Poder, pois eleva e faz cair governantes, políticos e celebridades.

Durante a faculdade participei de vários congressos e seminários onde o tema discutido foi a ética jornalística, imensamente desrespeitada. Estudei cinco anos para ser uma boa profissional e fazer um Jornalismo comprometido com o seu público, engajado com os problemas sociais, preocupado em fortalecer a democracia e incentivar o exercício da cidadania.

Estudei várias teorias, conheci diversos movimentos desde o surgimento da imprensa e, mesmo assim, não é fácil praticar um jornalismo responsável que seja muito mais do que um mero mediador social de sentidos, um simples transmissor de informações, mas que seja um educador, instruindo o povo para uma sociedade mais justa, mais digna e mais consciente de seus direitos e deveres.

Que seja muito mais que um cão-de-guarda da sociedade, mas um cão-guia. Há quem diga que isso é demagogia, mas nos meus cinco anos de estudos descobri que esse Jornalismo ao qual me refiro, o Jornalismo Cívico (surgido nos EUA), socialmente responsável, não só é possível como imprescindível e já é praticado no Brasil, nos Estados de Brasília, São Paulo e Minas Gerais e é alvo de estudos e pesquisas do Instituto de Jornalismo da UnB (Universidade de Brasília).

Outro assunto muito discutido pelo Sindicato dos Jornalistas é o tal Conselho Federal de Jornalismo. Em 2005 assisti na Unisinos a uma palestra ministrada pelo presidente da OAB do RS onde ele nos explicou a importância da aprovação do Projeto que criaria o Conselho e que estava sendo “atacado” pela grande mídia e acusado de censura. Apesar do apoio da OAB e da aprovação no Senado o projeto não foi assinado pelo presidente Lula, por motivos obviamente políticos. Estudei cinco anos para um analfabeto decidir o futuro da minha profissão, que ironia!

Diretamente ligado ao tema está a questão da obrigatoriedade do Diploma para uma pessoa se tornar Jornalista. Aqueles que nunca estudaram para tal se sentem lesados, defendem com unhas e dentes que qualquer um pode ser Jornalista, mesmo sem toda teoria e prática e toda pesquisa na área, mesmo sem conhecerem o mínimo do manual e regras de redação, das leis de imprensa e da tão imprescindível ética.

Mas seria justo pagar o que pagamos por uma faculdade, passar anos nos dedicando aos estudos para praticar um jornalismo profissional e de qualidade e qualquer um resolver do dia pra noite que quer ser jornalista e jogar no esgoto todo trabalho profissional e ético para o qual fomos graduados?

Esses (profissionais?) se autodenominam “jornalistas” escrevem matérias e veiculam informações sem o mínimo de conhecimento do que estão fazendo e sem consciência da responsabilidade que carrega a profissão que pode causar mais danos do que a bomba atômica... Afinal, trabalhamos com pessoas, com seres humanos, com vidas e carreiras que podem ser destruídas por um jornalismo irresponsável e mal intencionado.

Mas, se qualquer um pode ser o que quiser do dia pra noite amanhã mesmo estarei abrindo meu consultório médico, vou dar diagnósticos, receitar medicamentos e realizar cirurgias, afinal estudar pra que, diploma não vale nada mesmo!!!

Dia desses em uma cidade vizinha uma menina se apresentou pra mim como Jornalista. Perguntei onde ela havia se formado, mas ela disse que concluiu o ensino médio. Me desculpe, Jornalista sou eu e a obrigatoriedade do diploma está valendo desde 2006. Quem for denunciado ou pego exercendo a profissão sem a devida formação acaba na delegacia prestando depoimento e respondendo por crime de exercício ilegal da profissão.

Mas voltando ao meu consultório médico, você vai confiar sua saúde e sua vida a mim não vai? Afinal quem precisa de faculdade! E, aliás, como Médica sou uma excelente Jornalista.

__________________
Tatiana Vasco.
Jornalista Diplomada.
Registro Profissional nº 13664 DRT/RS

9 comentários:

JornalistaGauchaOnLine disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JornalistaGauchaOnLine disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JornalistaGauchaOnLine disse...

Caro Leandro,
Ainda em tempo, relendo meu artigo e seu arrogante comentário fico com a triste dedução de que és um desses lixos que busca fama, reconhecimento e sucesso para através da influência conseguires o que quiseres, não importando a tal da ética. Com a frase "tenho meus trabalhos publicados em cinco países" deixaste a impressão de que usas o quarto poder de má fé, de péssima fé. Parabéns pelo teu sucesso, só me diga: que trabalhos tens publicados em cinco países? Que países são esses? Em que eles contribuíram para a humanidade?
Atenciosamente.
Tatiana Vasco.

JornalistaGauchaOnLine disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JornalistaGauchaOnLine disse...

meus trabalhos foram publicados em cinco países"... e eu que não tenho humildade?

Sobre "insegurança" e "baixa auto-estima" você fez rir a mim e a quem me conhece e leram teu comentário. Me procure no orkut por Jornalista * Tatiana Vasco e veja que não sou eu que estou péssima em dedução! Minha auto-estima é elevadíssima e inabalável... tanto que ponho narciso no chinelo!

Sobre contra-ataque tu não tens moral para falar, pois revidaste com ofensas em vez de responder meus questionamentos.

E, como tu não tens caráter nem coragem para mostrar a cara, estou bloqueando teus comentários. Pois já que és tão brilhante deverias no mínimo honrar as calças que vestes e deixar eu comentar em seu blog também...

E sobre o Diploma: enquanto a liminar não é aprovada o sindicato cassa as carteirinhas precárias. Se tu tens anos de profissão e portanto o título de provisionado não deverias te preocupar comigo, com meus comentários e com meus aritgos. Já que tu és um grande Jornalista e dizes que não sou ninguém, por que te incomodas tanto comigo?

Não te preocupe, a liminar será aprovada! PRA SER JORNALISTA TEM QUE TER DIPLOMA OU TEMPO DE PROFISSÃO. SE NÃO TENS NENHUM PROCURE UMA FACULDADE.
Grande abraço pra vc e fique com Deus.

Leandro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
JornalistaGauchaOnLine disse...

hehehe Não me conheces... sou tão arrogante que não me abalo, principalmente por quem não tem cara!!! Se tu existisses teria orgulho em mostrar teu blog...

JornalistaGauchaOnLine disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JornalistaGauchaOnLine disse...

Publiquei suas respostas no tópico da comunidade do orkut "Abaixo Jornalista sem Diploma", criada pela diretoria do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RS. Olha a resposta de um dos membros:

"O que dizer para um sujeito que se intitula jornalista por acreditar que tem algum dom para a profissão? Mesmo que esse cara tenha capacidade técnica para atuar como jornalista, ainda falta o essencial, que é o respeito ao verdadeiro profissional - não o que se acha profissional- e a ética. Com que moral esse indivíduo pode falar em profissionalismo se ele invadiu pela porta dos fundos uma profissão regulamentada? Acredito com absoluta certeza que se o tal jornalista precário freqüentar durante quatro anos uma faculdade ele vai sentir a verdadeira diferença entre um profissional e um amador!"

Se quiseres entrar em contato comigo me procure no orkut, ou tenho o direito de resposta fora do meu blog ou não terás direito de postagem.
Att,
Tatiana Vasco.

PERFIS FALSOS NO ORKUT ACABAM EM CADEIA!